Instituto André Green

 

O Instituto André Green (IAG) nasce com a proposta de ofertar um programa de formação continuada em psicanálise dentro do PLP. Seu norte de atuação será destinado a oportunizar atividades de transmissão e produção, teóricas e clínicas, grupos de estudos, grupo de produções acadêmicas, grupos de trabalho teóricos e clínicos, entre outras atividades, que se disporão para aqueles que compuserem este núcleo de atividades dentro do PLP.

Queremos assim, fomentar bases para uma prática clínica balizada no clássico tripé (Formação teórica, Supervisão Clínica e Análise Pessoal) postulado por Freud como guia ético da construção do lugar analítico em cada um de nós, que decidiu por destinar algo do seu desejo para tal missão.

Para tal, este núcleo de pesquisa e formação continuada do PLP, o Instituto André Green, comporá um quadro vasto de atividades, que permitam àqueles que desejam ainda percursar conosco, um traçado cada vez mais sólido, ético e responsável com sua própria trajetória na psicanálise.  

Escolhemos para dar nome a esse núcleo do PLP André Green por ele ser um ícone da psicanálise contemporânea e, ao mesmo tempo, autor que “bebeu” das fontes clássicas da psicanálise mundial. Esteve em proximidade paradoxal e instigante com Lacan, em produtividade achegada e afetiva com Bion, em diálogo frutífero e magistral com a obra de Winnicott. Seu norte clínico é o desafio, o risco, inerente à “passagem do silêncio à palavra” analítica, esta capaz de “desenlutar a linguagem”. Um pesquisador implicado, um clínico exímio, um teórico de densidade e complexidades sutis e profundas. Sua obra é um vasto campo que comprova o exercício de um “psicanalista em tempo integral”. Alguém que dedicou sua vida a construção e transmissão de uma psicanálise livre e engajada; sólida e fluida; freudiana e plural.

Podem fazer parte do IAG ex-alunos PEAP e profissionais que desejem associar-se ao Percurso Livre em Psicanálise.